sábado, 30 de junho de 2012

Trágica Beleza




Mas eis que o anjo pálido da morte
A pressentiu feliz e bela e pura...
Machado de Assis


Era uma noite, adrede, muito linda,
P'la deusa lânguida do amor forjada.
Eu m'encontrara, então, com minha amada,
Era assaz bela, e estava mais ainda...

Tácitos numa frialdade infinda,
Toda a nossa acre soturnez fanada,
E só pensávamos em nós, mais nada,
De modo algum seria a dor bem-vinda...

Porém, o deus da morte, bem me lembro,
Naquela fria noite dum setembro,
Sentindo inveja, meu amor 'doeceu.

Alguns dias após, ela, febrente,
Triste a sorrir, se despediu, silente,
Beijou-me os lábios, e depois morreu.

(versos decassílabos, ritmo sáfico)

domingo, 10 de junho de 2012

Omnia Sol Temperat



Omnia Sol temperat
purus et subtilis;
novo mundo reserat
facies Aprilis,
ad amorem properat
animus herilis,
et iocundis imperat
deus puerilis.

Rerum tanta novitas
in sollemni Vere
et Veris auctoritas
iubet nos gaudere;
vias praebet solitas;
et in tuo Vere
fides est et probitas
tuum retinere.

Ama me fideliter!
fidem meam nota;
de corde totaliter
et ex mente tota
sum praesentialiter
absens in remota.
Quisquis amat taliter,
volvitur in rota.




A versão conhecidíssima de Carl Orff





Ao som de In Extremo


sábado, 9 de junho de 2012

LUA EM CHAMAS







"Com sua perícia , estendeu em volta uma pele de boi
colocou dois braços , por cima ajustando uma trave,
e estendeu sete afinadas cordas de tripas de ovelhas.
Depois que fabricou , diligente , o amável brinquedo."

(Trecho do hino homérico a Hermes , o primeiro registro da construção da antiga lira grega.)

-I-

Uma jovem virgem sem ser pálida
No balcão de atender me "confessava"*
Uma depressão intermitente a assolava
Solavam as moiras sua corda ... rábidas.

*Por isto me pedia cancelamento.

A desgraça do depressivo em vida
Camaradas , é ser bom com piadas
Na terra ter batalhas de umas Iliadas
E flertar sempre com o Lethe , o nada.

(nem olhar pra trás , pra Musa , gris Orfeu)

Querendo não romantismo , realismo
De seu fado compadeço Ó guapa
E trazer para os tristes meu sarcasmo e

(Perdoem-me pois a torpe digressão
Ter feito como Hefesto uma arte coxa
Donzela não tenha como agressão)

Pros alegres pessimismo só topa
Meu daimon , não a chamo ao parasitismo
Pois terminariamos em treva , em tapa.

( Queria eu ter nascido mulher , não é doxa,
Anima! fazem mais do que a razão
As mulheres com a divina Coxa)


Do recepcionista davi entre Golias e Livingstone de medusas.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

O FIM...



Embalde, pela celsa Natureza,
Choro ao ver suas mortas alegrias;
Derramo tantas vãs lágrimas frias
Pelo findar de sua grã beleza.

Sinto dela a terrífica tristeza;
Oiço ecoar as tristes agonias,
Agonias tão tristes e sombrias
Quanto da amara morte a palideza.

A Natura, antes tão ínclita e mágica,
Desata-se em atroz vaidade trágica;
Morreu-se o amor... tudo é negrura e sombra...

Oh! a ufania é do mundo o fulcro!
Tudo aquilo que um dia fora pulcro
E que eu amara, agora só me assombra!